4 dicas para gerir despesas e ter mais dinheiro no final do mês!

gerir despesas e poupar com o euroticket

Se é fácil encontrar várias formas de usufruir do salário ao final do mês, muitas vezes não podemos dizer o mesmo quando o assunto é mantê-lo na conta.

Gerir as despesas e o orçamento familiar pode ser uma verdadeira dor de cabeça, sobretudo quando perdemos o rasto ao dinheiro que vamos gastando.

Numa altura em que muitas famílias enfrentam uma quebra nos seus rendimentos, reunimos algumas dicas que prometem ser eficazes quando o desafio se trata de alocar todos os dígitos ao sítio correto. Mesmo que o salário não estique, a verdade é que, com um pouco de organização, conseguirá fazer uma gestão das suas despesas muito mais eficiente!

  1. “Segmentação”, decore esta palavra!
    Comece por dividir as despesas em três categorias: as fixas, as variáveis e as extra. Isto vai ajudá-lo a perceber onde gasta o seu dinheiro com mais facilidade, para, se for o caso, alterar alguns dos seus hábitos!

    As despesas fixas são as primeiras a analisar. A verdade é que destas não se escapa, por isso, mais vale encará-las sem medos! Contabilize quanto gasta por mês em internet, no colégio das crianças, nas prestações do carro ou da renda da casa, enfim, tudo o que precisa de ser pago todos os meses. Coloque imediatamente esse valor de parte assim que o salário entrar na sua conta. Antecipe-se!

    De seguida, debruce-se sobre as despesas variáveis: compras no supermercado, água, luz e afins e faça uma estimativa de quanto costuma gastar no total. Assim, esse é o montante que deverá “reservar” para o resto do mês.

    Por fim, os extras! Aqui entram os jantares fora, as saídas, os aniversários e tudo aquilo que foge à norma de um dia “comum”. Sabemos que, atualmente, estes eventos são muito reduzidos, ou mesmo nulos, de qualquer das formas, pensar no futuro traz sempre vantagens! Não se esqueça que imprevistos acontecem, e que, por isso, podem existir meses que o obriguem a gastar mais do que aquilo que esperava. Convém ter uma “almofada” reservada para apagar estes fogos.

  2. Analise as suas despesas
    Agora que já agrupou os seus gastos, está na altura de os analisar e repensar. Talvez pudesse gastar menos em algum destes serviços. A luz e a água são algumas despesas que, com um pouco de autodisciplina, conseguem ser reduzidas. Certifique-se de que não está a desperdiçar dinheiro!
  3. Use a tecnologia
    Não deixe que a desorganização leve a melhor e aponte todas as despesas e gastos que faz. Hoje em dia, existem inúmeras aplicações que o ajudam a fazer a gestão das suas despesas e inclusive que apresentam gráficos. Monitorize as suas finanças pessoais e, desta forma, poderá avaliar melhor os seus consumos, que hábitos é possível alterar e onde conseguirá poupar. Saber com o que podemos contar é essencial quando o objetivo é ir mais longe!
  4. Aproveite ao máximo os benefícios!
    Muitas vezes, as soluções para alguns dos nossos problemas estão à nossa volta, sendo suficiente uma pequena pesquisa para encontrar resoluções relativamente simples! No que se refere à poupança e ao aumento do poder de compra das famílias, muitas empresas têm apostado em benefícios extrassalariais que apoiam os seus colaboradores. Desde cartões como o Euroticket Refeição, a soluções de educação, como cheques e cartões Euroticket Creche, Estudante e Formação, as empresas conseguem contribuir para o aumento do poder de compra dos seus colaboradores e das respetivas famílias.

    O valor disponibilizado nestas soluções é para ser gasto em determinados setores de atividade e, como tal beneficia de isenções fiscais, como IRS e a TSU, o que significa que acaba por receber mais do que se estivesse integrado no seu vencimento. Se tem mesmo que pagar o colégio das crianças, gastar dinheiro em material escolar ou alimentação, porque não usar estas soluções e ter mais dinheiro ao fim do mês? Se a sua empresa ainda não atribui este tipo de benefícios, sugira-os! A verdade é que também as geri

Partilhe este artigo:

We connect,
you win